Não seja mais um Dementador!

dementador

dementador

Os Dementadores, no universo de Harry Potter, são criaturas das trevas que se alimentam de esperança e boas lembranças, até que suas vítimas se tornem vazias e enlouqueçam. A criatura foi inspirada no período que a autora sofreu de depressão, mas quem dera que fossem somente doenças capazes de fazerem isso. Ultimamente, tenho encontrado dementadores-pessoas por aí.

Primeiramente, não seja esse tipo de pessoa, não seja um dementador! Sim, eu sei, todos sabemos, é um axioma de que a vida é difícil, dolorida, que carreira, trabalho, universidade, família, sonhos são longos caminhos complexos e repletos de desafios, independente da área, da formação, do grau, estamos constantemente em campos de batalhas, o que muda são os níveis de dificuldade.

Diante disto, tenha consciência e não seja uma pessoa dementador. Não seja uma pessoa que suga sonhos alheios, esperanças e felicidade. Não seja a pessoa que coloca a pedra no caminho ao invés de auxiliar a remover, não seja o desestimulador, não seja aquele que projeta as suas dificuldades pessoais em outros, não seja a pessoa que anseia por cegar, não seja, por favor, um dementador ambulante em nosso mundo! Disso ele já está cheio o suficiente!

Não seja a pessoa que gosta de oferecer conselhos pessimistas, não seja um babaca, não seja um amargurado, não seja um ressentido que espalha espinhos nos demais, não seja, por opção, um desestimulador. Não seja um professor-dementador, um aluno-dementador, um médico-dementador, um policial-dementador, um artista-dementador, um porteiro-dementador, um psicólogo-dementador, um pai-dementador, um amigo-dementador, um colega-dementador… Por favor, não seja mais uma pessoa dementador no mundo!

É claro que não é melhor ser um otimista o tempo todo, nenhum extremo é agradável, mas, por favor, não seja uma pessoa que está constantemente lembrando as demais o quanto tudo é complicado. Seja um porto seguro, seja o silêncio, ou não seja nada, apenas certifique-se de evitar a personalidade dementador.

A vida já é difícil o suficiente, é formada de dor e dias mistos entre alegria e miséria, a tristeza é mais comum que a felicidade, então, por favor, não seja um dementador! Nós já estamos imersos nas sombras, precisamos de luz, de conselhos e apoio! Não seja uma pessoa dementador para espalhar a discórdia, para preparar a desesperança, para salgar o terreno, não fique afirmando a dificuldade.

É claro que o caminho é árduo para todos, porém, como dizem os ingleses “when there’s a will, there’s a way!” Então, vamos encontrar o caminho, no lugar de reclamar sobre a vontade. Vamos aprender a aceitar os erros, a rir do desastre, a superar com graciosidade e a desanimar sem cair, desenvolver garra e esperança no lugar de uma constante sucção. Está tudo bem ser infeliz, às vezes, o que não está bem é afogar-se e afogar os demais os demais nisto.

Não importa seu caminho, sua jornada, sua idade, seu peso, sua conta bancária, seus livros, suas bebidas, seus hábitos. Não importa o quão fácil ou difícil seja a sua meta, apenas certifique-se de estar rodeado de pessoas estímulos e não dementadores. E, caso você seja a pessoa dementador, por favor, pare, todos nós já sabemos as dores e dificuldades da vida! Inclusive você!

Revisado por Carlos Cavalcanti
Escrito por Laura Elizia Haubert

SOBRE O AUTOR

L.E.Haubert é a assinatura de Laura Elizia Haubert. 19 anos. Já participou das antologias de contos Tratado Secreto de Magia II, Elas Escrevem Volume II, Dias Contados II, Anno Domini II, Entrelinhas Volume II, Livre para Voar, Sonhos Lúcidos, Outrora e Fantasiando, além de participações em revistas como a Revista Ponto do SESI-SP. Publicou pela Editora Novo Século as obras: Calisto e Sohuem. Publicou em 2015 pela editora Multifoco o livro Ode à Nossas Vidas Infames. Atualmente vive em São Paulo capital e cursa graduação em Filosofia na PUC-SP.