Ser vegetariano é dar aos outros o direito de julgar (?)

vegetarianismo_saude

               Sou vegetariana e, como todo vegetariano ou vegano, já ouvi todo tipo de barbaridade mascarada de opinião. É incrível a capacidade humana para se dar o direito de julgar tudo aquilo que sai um pouquinho do que é socialmente considerado normal e natural. Sempre vai ter alguém tentando de convencer que o seu ponto de vista está errado e que o dele é melhor; no entanto, se esquecem de que quando se trata de escolha de estilo de vida não há um lado certo e um errado, mas apenas estilos e escolhas.

                Parei de comer carne movida por diversas razões – razões essas que levam muitos outros ao vegetarianismo. A preocupação pelo meio ambiente, questões de saúde (sim, saúde), amor pelos animais e crença de que nenhuma forma de vida é superior à outra.

                Você tem um amigo vegetariano/vegano? Conhece alguém? Se sim, saiba que ele está farto de ouvir certas afirmações e intromissões, por isso vamos deixar algumas coisas claras aqui. Não, nós não pensamos que estamos matando a alface, ela não tem sistema nervoso; não, nós não estamos comendo o alimento dos animais, que eu saiba vaca não come brócolis; não, nós não precisamos tomar vitaminas e não somos mais fracos por isso, podemos tirar todos os nutrientes que precisamos da natureza.

                Um dia uma menina me perguntou por que eu não comia peixe, e simplesmente respondi: porque é um animal e está morto. Acho que a parte do estar morto lhe causou imensa confusão porque ao dizer que também não comia ostras ela exclamou: “mas se come vivo!” Só fiquei sem reação mesmo. Ao contar o acontecimento para a minha mãe ela só me disse: “então, vai ao pasto e morde uma vaca, se está vivo pode”…

                Outra coisa que já ouvi é que precisava de um psicólogo, porque afinal não comer peixe é um sério problema. Parece que não comer carne é aceitável, mas cortar o peixe da dieta também aí já é loucura.

                Agora um apelo aos amigos de vegetarianos: por favor, lembrem-se de nós na hora de escolher o restaurante, vamos todos escolher um lugar em que tenha mais do que batata de opções para nós. Isso é demonstrar amizade verdadeira!

                Outro tópico importante é a tentativa de conversão que sofremos o tempo todo. Se decidimos parar de comer carne temos as nossas razões (como já disse mais acima), e não sentimos falta da carne, então não tentem empurrá-la para cima de nós. Eu não fico tentando trazer ninguém ao vegetarianismo, respeito a sua escolha de comer carne e apenas espero dos outros o respeito.

                Então, vamos concluir que está liberado fazer todo tipo de pergunta que tenha sentido, por exemplo, como é a transição, o que muda na nossa vida, como montamos nossa alimentação… Eu, particularmente, adoro explicar essas coisas. Mas se a única coisa que vier a sua cabeça for “mas você não pensa que está matando a alface?” é melhor não dizer nada.

             Como já muitas vezes foi pintado nas paredes das ruas: gentileza gera gentileza, tratando a todos com respeito construímos um mundo melhor.

Revisado por Stephany Justine

SOBRE O AUTOR

Tem 21 anos, cursa Direito na Universidade do Minho (Portugal). Apaixonada por chocolate quente, café, literatura e história geral. Seu interesse por cultura faz crescer seu desejo de conhecer cada cantinho do mundo, mas enquanto não pode viajar fisicamente, lê, imagina e escreve! Instagram: @marina.lm