Autor de capas da Coleção Vagalume, Jayme Leão morre aos 68 anos

Artista Vagalume

Na última semana, na livraria próxima a universidade, notei alguns livros que me pareciam familiares.

Quando me aproximei, ao identificar as ilustrações da capa, foi como se minha adolescência tivesse voltado de repente. Tratavam-se dos livros da Coleção Vagalume!

Realmente fiquei feliz em imaginar que talvez, tais livros estivessem sendo republicados (ou talvez nunca deixaram de ser). Lembrei-me de “O Escaravelho do Diabo”, primeiro livro da coleção que li. Mas, minha felicidade veio ao perceber novos exemplares e imaginar que as novas gerações pudessem novamente ter acesso aquelas obras tão incríveis.

Na mesma semana em que percebo essa “boa nova”, vejo uma notícia não tão boa assim, relacionada a Coleção Vagalume.

O artista gráfico Jayme Leão morreu no último dia 10, aos 68 anos de idade. Ele foi autor e ilustrador de diversas capas da coleção e morreu devido a uma série de complicações que resultaram em quadro de insuficiência renal.

O artista sofreu um traumatismo craniano após, aparentemente, cair sozinho em sua casa, em meados de janeiro. Após isso, já estava fazendo fisioterapia e parecia estar se recuperando.

Jayme nasceu no Recife e foi para o Rio de Janeiro ainda criança. Trabalhou nas redações dos jornais “Folha de S.Paulo, “Estado de S. Paulo”, “Jornal da Tarde” e nas revistas “Veja”, “Playboy” e, mais recentemente, na “Você S/A”. Na editora Abril, foi vencedor do prestigiado Prêmio Abril.

Esteve envolvido também na criação dos jornais “Opinião” e “Movimento”, que faziam oposição ao governo militar brasileiro. Na década 1970, chegou a viver com a família no Chile, do presidente socialista Salvador Allende, para fugir do regime de exceção.

Para matar a saudade da série, confira a Lista elaborada por Suzana Reis, colaboradora do Literatortura: “25 curiosidades e fatos sobre a Coleção Vaga-Lume

Em entrevista ao UOL, a jornalista Lidice Leão, filha mais velha de Jayme reafirma a importância do artista:

“Acho que o mundo perde, primeiro, um gênio, um ilustrador, um dos últimos a trabalhar com pincel e tinta, embora ele operasse bem o computador. E segundo, um militante que acreditava realmente que as coisas poderiam melhorar e que as pessoas tinham o direito de lutar.”

Confira abaixo algumas das principais capas ilustradas por Jayme:

SOBRE O AUTOR

Diego (Ubi) cursa História na Unioeste, é fã de Histórias em Quadrinhos, Rock n’ roll e acredita que foi rejeitado pela Seleção Natural de Darwin.